segunda-feira, 11 de maio de 2009




Mães Más

Um dia quando meus filhos forem crescidos suficientes para entenderem a lógica que motiva os pais e as mães, hei de dizer-lhes.
Eu os amei o suficiente para não ter ficado em silêncio e fazer com que vocês soubessem que aquele novo amigo não era boa companhia.
Eu os amei o suficiente para fazê-los pagar as balas que tiraram da mercearia, e os fazer dizer ao dono: - Nós roubamos isso ontem e queríamos pagar.
Eu os amei suficiente para ter ficado de pé duas horas junto de vocês, enquanto limpavam o quarto: tarefa que eu teria realizado em quinze minutos.
Eu os amei o suficiente para deixá-los ver, além do amor que eu sentia por vocês, o desapontamento e também as lágrimas em seus olhos.
Eu os amei o suficiente para deixá-los assumir a responsabilidade de suas ações, mesmo quando as penalidades eram tão duras que me partiam o coração.
Mais que tudo, eu os amei o suficiente para dizer que não, quando eu sabia que vocês poderiam me odiar por isto.
Essas eram as mais difíceis batalhas de todas. Estou contente, venci... Porque no final vocês venceram também!
E qualquer dia, quando meus netos forem crescidos o suficiente para entenderem a lógica que motiva os pais e as mães, meus filhos vão lhes dizer quando eles lhe perguntarem se a sua mãe era má: - Sim... Nossa mãe era muito má. Era a mãe mais má do mundo!
As outras crianças comiam doces no café e nós tínhamos que comer cereais, leite, pão, frutas...
As outras crianças bebiam refrigerante e comiam batatas fritas e sorvete no almoço, e nós tínhamos de comer arroz, feijão, carne, legumes, verduras e frutas...
Ela obrigava-nos a jantar á mesa, bem diferente das outras mães, que deixavam os filhos jantarem vendo televisão...
Ela insistia em saber onde nós estávamos a toda hora. Era quase uma prisão.
Mamãe tinha que saber quem eram nossos amigos, e o que nós fazíamos com eles. Insistia que lhe disséssemos que íamos sair, mesmo que demorássemos só uma hora ou menos...
Nós tínhamos vergonha de admitir, mas ela violou as leis do trabalho infantil. Nós tínhamos de lavar louça, fazer as camas, lavar roupa, aprender a cozinhar, aspirar ao chão, e todo tipo de trabalhos cruéis. Eu acho que ela nem dormia a noite, pensando em coisas para nos mandar fazer.
Ela insistia sempre conosco para lhe dizer sempre a verdade. E quando éramos adolescentes ela até conseguia ler nossos pensamentos. A nossa vida era mesmo chata. Ela não deixava que nossos amigos ficassem a buzinar para que saíssemos. Tinham que subir e bater á porta para que ela os conhecesse. Enquanto todos podiam sair com 11 ou 12 anos, nós tivemos de esperar os 16 anos. Por causa da nossa mãe nós perdemos imensas experiências na adolescência. Nenhum de nós esteve envolvido com drogas, em roubos, atos de vandalismo, violação de propriedade, nem fomos presos por nenhum crime. Foi tudo por causa dela.
Agora saímos de casa, nós somos adultos, honestos e educados, estamos a fazer o nosso melhor para sermos "pais maus", tal como a nossa mãe foi.
"Eu acho que este é um dos males do mundo de hoje: não há suficiente Mães Más"...

Feliz dia das Mães.
Beijos a todas

6 comentários:

Gisele Kessia disse...

Oi muito legal o seu blog. Sou mãe e tbém contadora de história para crianças carentes. Eu sou uma mãe, má e agradeço a minha por ter sido também. E tenho certeza que Gabriela e Rafaela entederão qdo. mais velhas e tbém serão mães más, pois afinal o que seria da humanidade sem essas mães?

Abrços

Lia Noronha disse...

Muito bonita essa mensagem...e bem pertinente nos dias de hj...Abraços mil!!!

Escola Municipal Professor Castilho disse...

Oiiiiiiiiiiiiii!!!!
Seu blog está cada vez mais lindo. Essa mensagem é demais, toda vez que leio fico com os olhos cheios de lágrimas...

Beijocas
Isabel Ramalho

Márcio Almeida Júnior disse...

Deise, gostei do blog e da forma como você aborda os temas, muito interessante.

Tia Rose® disse...

Estou muito feliz pelo 1º aniversário do Ensinando e Aprendendo completado em 25/05.
Devo essa conquista a você que me visita diariamente. Você faz parte dessa história. Todas as coisas contribuíram para o crescimento: os elogios, as críticas, os conselhos, os puxões de orelha, os comentários...
Mas acima de tudo a Deus toda honra e glória.
“Porque dele, e por ele, e para ele são todas as coisas. Glória, pois a ele eternamente". Romanos 11.36

No sábado, 30/05, a partir das 9h, será servido um delicioso café da manhã a todos os amigos e, neste dia, juntos agradeceremos a Deus todas as bênçãos recebidas no decorrer deste 1 ano.
Muitos beijos docinhos e até sábado

Paula disse...

Olá Deise, como vai?

Sou redatora da revista Projetos Escolares Educação Infantil. Passei aqui para visitar seu blog e o achei bastante interessante. Parabéns! O curioso é que tinha acabado de ler esse texto sobre as mães más em um post feito na nossa comunidade no Orkut... acho que era mesmo para eu lê-lo. Aproveitando: entra na nossa comunidade... será um prazer tê-la por lá: http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=69414477

Abs

Paula Caires